Wednesday, August 16, 2006

Quero me mudar pro país da propaganda do Lula!

Vou discordar do meu guru Anulados. Horário Eleitoral é tudo! Devia passar na TV a cabo, devia ter no cinema. Todas as locadoras de vídeo deviam fechar nessa época. Horário Eleitoral é, como dizia um antigo slogan dos cinemas Luiz Severiano Ribeiro, a maior diversão.

Onde a gente veria a Heloísa Helena defendendo a santidade da propriedade privada e pedindo orações pela candidatura dela? Eymael encantando o Brasil com a nitidez de seu jingle? Um Alckmin querendo, a toda força, virar Geraldo? Bivar explicando que não estava lá só pra se exibir? Cristovam anunciando ao povo que foi um governador do Distrito Federal tão querido, tão amado, tão idolatrado... que nem foi reeleito?

Mas o melhor de tudo é Lula mostrando a todos o Brasil maravilhoso em que vivemos. Gente, onde fica esse país estupendo que o barbudo governa? Tô louco pra mudar pra lá. Tem saúde, educação, bolsa-família, desenvolvimento com qualidade, branco, negra e índio e ainda a classe operária no poder...

Se a Justiça Eleitoral fosse justa, depois de todos os candidatos viria o horário eleitoral do voto nulo. Trinta segundos, vinte que fossem - era o que bastava. Vinte segundos com a tela preta, silêncio total... Para os surdos (é a lei que obriga todo candidato falar pros surdos agora? que avanço, os deficientes auditivos agora também podem ser mistificados pelos políticos!), um letreiro pequeno correndo: "A única propaganda política sem mentira, sem demagogia, sem desafaçatez".

8 Comments:

Anonymous Anonymous said...

tá doido sô? coisa chata demais da conta. prefiro tomar purgante.

Wednesday, August 16, 2006 11:35:00 AM  
Anonymous Ruferto said...

já encomendei na feira do paraguai a temporada inteira do horário político em dvd, pra rever em casa e me deliciar.

Thursday, August 17, 2006 6:00:00 AM  
Anonymous Não voto nulo said...

Acho que faltam argumentos nesse blog. Tudo bem que político não presta, mas isso não seria apenas uma generalização?

é fato que o salário do brasileiro melhorou e eu aida prefiro ver o lula do que o eymael no poder. Nem tudo é tão igual assim.

Gostaria ver mais argumentos nesse blog, argumentos com números provando que nada muda mesmo. Pra mim, votar no maluf e votar no lula não são a mesma coisa.

(Não, esses não estão concorrendo a um mesmo cargo, mas, na verdade, pra quem vota nulo tanto faz quem se candidata e nem a que se candidata)

Thursday, August 17, 2006 6:09:00 AM  
Anonymous clone do miguw said...

Amiga, votar no Lula, no Eymael, na Heloísa Helena ou no Alckmin é a mesma coisa. Por dois motivos:
(a) seu voto não vai decidir a eleição. Larga de megalomania! Seu voto não vale nada. É um em 100 milhões. Toda a sua preocupação é inútil;
(b) o eleitor é quem menos pesa no processo. Pra ganhar eleição, é necessário fazer um monte de compromissos e arrecadar um monte de grana. Seu voto é o produto dessa máquina.
E sim, "político não presta" é uma generalização: uma generalização baseada na experiência empírica.
Ah, tá tudo explicadinho lá embaixo. O chato desse blog é que tem argumento demais.

Thursday, August 17, 2006 7:45:00 AM  
Blogger anulados said...

Caro "não voto nulo",

Ainda acredito que apesar dos vários problemas que a maioria massacrante dos políticos deste nosso país apresentam, o fato deles serem péssimos é um "detalhe".

As organizações partidárias são anti-democráticas em sua origem.
O problema maior reside na premissa fundamental da eleição, ela pressupõe a existência de pessoas mais preparadas para exercer a política. Acontece que política é uma ação inerente ao ser humano, que qualquer um pode realizar, não é necessário um especialista. Fazer política é diferente de navegar um barco (por mais que célebres filosofos discordem). É claro que isso que eu falei faltou um mooonte de argumentos.

Mas este meio de interação (o blog) não é um livro. Não apresenta uma ordem perfeita, alguns argumentos não são facilmente identificáveis. Agora, falar que não existem argumentos só pode ser porque você não teve a paciência de ler alguns dos posts.

Concordo com o célebre clone do Miguw, o que não falta são argumentos nesse blog. Se algo fica "sombrio" no meio desta discussão será apenas uma questão de tempo para podermos apresentar argumentos mais concisos.

Enquanto isso, sugiro que leia dois livros (lá tem argumento de montão):

MICHELS, Robert. Sociologia dos partidos políticos.

MANIN, Bernard. The principles of representative government.

Só pensa um pouco melhor sobre a perspectiva um "pouco" pessimistado Michels sobre a democracia... o cara era um desiludido...

Abraço

Thursday, August 17, 2006 2:04:00 PM  
Anonymous Gustavo said...

discordo totalmento do argumento (a) do clone do miguw. O argumento (b) até faz sentido mas o (a) não tem pé nem cabeça...

Tuesday, August 22, 2006 12:49:00 PM  
Anonymous Anonymous said...

O argumento (a) faz todo o sentido. Não sei direito os números, mas num país de 180 milhões de pessoas, deve haver uns 100 milhões de eleitores, certo? Isso sinifica que um voto, de um cidadão, tem o peso de 1/100000000. Isso é um peso bem pequeno.
Se alguém quiser contra-argumentar que 100000000 de votos todos juntos têm peso, é fácil acabar com isso: é só perceber que os 100000000 de votos não foram dados pela "consciência", "orientação", "perspectiva", "vivência", ou "construção coletiva". Eles foram dirigidos a pessoas específicas que puderam concorrer por causa dos diversos acordos e malas que rolaram por trás. Ou seja, além do voto por si só valer somente 1/100000000, o montante geral deles não expressa nada além de um direcionamento a opções já dadas. Quem dá significado ao voto, neste caso, não é o eleitor. Se voto valesse alguma coisa pro eleitor, ele ofereceria a possibilidade de construção de alternativas. Como vale muito, mas somente pro sistema político se legitimar, o voto continua aí como ferramenta estratégica "engana-trouxa".

Wednesday, August 23, 2006 8:42:00 PM  
Anonymous :-] said...

Sra. ou Sr. Não voto nulo,

Pra você, votar no Lula ou no Maluf não é a mesma coisa. É isso mesmo, PRA VOCÊ.
Mas pro sistema político é. O voto em qualquer um dos dois sujeitos lhe confere legitimidade, e é isso que importa.

Se você tivesse lido o resto do blog já deveria ter entendido essa explicação. Está um pouquinho mais pra baixo, vamos lá, ânimo. Até que os autores deste blog tentam ser engraçadinhos pra sua leitura não ser enfadonha...

Wednesday, August 23, 2006 8:51:00 PM  

Post a Comment

<< Home