Monday, August 14, 2006

Vamos nos gratificar!

A Folha de hoje posta (publica) um artigo do diretor do DataFolha, Mauro Paulino, baseado num survey que revelou que "apenas" um terço dos brasileiros "gosta muito de ir às urnas". Típica pesquisa bizarra. Eu imagino o estagiário do DataFolha caçando o povo na rua pra perguntar se "o senhor (ou a senhora) gosta de ir às urnas":

- Que é isso, rapaz, sou moça direita!

- Eu gostava, mas agora freqüento a Sara Freire Nossa Terra!

- Gosto sim, mas minha mulher não deixa!

- Eu vou quando estou apertado, como todo mundo!

Os que menos entusiasmo manifestam pela eleição são os mais jovens. O articulista, como é óbvio, acusa-os de não valorizarem o voto - não participaram da luta contra a ditadura, não aprenderam como é importante ter o direito de escolher o próprio sanguessuga. (Dizer que a luta contra a ditadura se limitava à formalidade eleitoral é triste...)

Mas minha parte favorita do texto é o apelo para que mídia, partidos e tribunais eleitorais façam campanha para "reforçar a importância da participação política e para demonstrar que ir às urnas pode ser também gratificante". Nem há o que comentar - estamos mesmo no país da piada pronta, como dizia aquele analista político, o Macaco Simão. Votar é sinônimo de participação política? Quer dizer, participar se resume a um gesto ritual, que cumpre a tarefa de me fazer pensar que estou influenciando em algo, que me apazigua, mas não possui efetividade nenhuma? E o que pode ter de gratificante apertar uns botõezinhos, ver surgir na minha frente a cara do ACM Neto ou do Zé Genoíno e pressionar o botão verde para confirmar? É essa a gratificação que a concorrência eleitoral dá ao povo.

Freud errou (que novidade!). Esqueceu de incluir, na sua teoria, a fase da gratificação eleitoral. Não podemos reclamar se o nosso regime não cumpre nada do que promete - que não nos dá igualdade política, nem poder decisório, nem autonomia coletiva. De quatro em quatro anos, gratificamo-nos todos. E se rolar o famoso clipe com dois chicletes do amigo Maluf, saímos no lucro!

8 Comments:

Blogger Darandina said...

Assumo. Eu resisto à idéia de votar nulo. Por quê? Não sei. Sou a favor dos partidos. OK, mentira, não sou a favor dos partidos nem da democracia representativa e seu malfadado modelo liberal. Sou mais radical que isso. Se existisse natureza humana e tudo não fosse construção histórica, o indivíduo seria coletivista. É, eu acredito nisso mesmo. Bom, mas não podemos fingir que ‘isso’ tudo não está aí. Está e não sei se votar nulo iria resolver. Quem ia ‘ouvir’ e ‘ver’ esses votos? Seria melhor que todos orientassem seus esforços para eleger o Rui Pimenta. Isso sim choca. Tudo bem, ele seria uma versão janista piorada, teria 7 semanas de mandato e não 7 meses, se não ‘sumissem’ com ele antes da posse. Incrivelmente eu não sei, então, qual seria a solução. A ciência política e seus ‘detentores’ nos pedem o tempo inteiro para apontar soluções, sair da retórica, pensar suas próprias opiniões. OK, e eles ouviriam? Bom, mas isso é outro assunto. A questão é que ninguém sabe. A questão é que a gente não devia estar aqui usando esse ‘instrumento burguês e alienado’ que é a internet e seus ‘blogs’ dizendo coisas pra ninguém ouvir. A gente devia estar agindo. Como? Eu não sei, mas se quiser a gente marca uma reunião (regada à álcool) e discute.

Monday, August 14, 2006 4:45:00 PM  
Anonymous Ana Joana said...

Que isso, dona Darandina! A internet tá aí pra gente incrementar a democracia! Dá pra fazer quase tudo via internet, imagine se não dá pra gente ressuscitar esse aborto de democracia que tem hoje. O blog é um instrumento importantíssimo! Não foi isso que o pessoal andou aprendendo numa matéria por aí?
Eh-eh-eh.

PS: Sou sempre favorável a reuniões etílicas pra discutir o estado da democracia brasileira. Mas, se não der, podemos tentar uma conferência pelo skype, com cada um beb..., ops, argumentando em sua cela individual.

Monday, August 14, 2006 7:31:00 PM  
Anonymous a pereira said...

se a ana joana atendesse ao skype...
querida darandina, e se vc votar em alguém...eles vao ouvir vc?!
"tá tudo dominado"
o pessoal já tá fazendo alvororoco na alvorada (trocadilho triste, mas é assim mesmo) antes de a gente votar nulo, só por causa de blogs, orkuts e tal. ahh, mas tem gente ouvindo, viu...
de longe, muito longe vozes ecoam pela madrugada

Tuesday, August 15, 2006 2:09:00 AM  
Anonymous maluf said...

companheiros, em vista da situacao complicada que se instalou e do poder bombástico desse blog, declaro: aumento minha oferta
para um clipe, dois chicletes e um PIRULITO que vira chiclete depois.
mas por favor, nao freqüentem a sara f. nossa terra. vao às urnas e pensem, votem em mim que eu choro por vcs.

Tuesday, August 15, 2006 2:17:00 AM  
Anonymous Anonymous said...

"Quero ter a honra de ser a primeira mulher brasileira a ser presidente para, com a mão firme de mãe, mulher e trabalhadora, ajudar o povo brasileiro a fazer deste país uma pátria soberana".

Heloísa Helena, no debate da Band

Tuesday, August 15, 2006 6:59:00 AM  
Anonymous Anonymous said...

"seu governador é tão bom quanto seu voto"

Locutor da rádio OK FM.

Realmente, voto não vale nada

Tuesday, August 15, 2006 7:01:00 AM  
Anonymous Gustavo said...

Bom sabemos todos que a nossa democracia burgesa é uma farsa. O que eu não concordo é que as pessoas se escondam ou se abstenham de suas responsabilidades através do voto nulo. E é exatamente isso que a maioria esmagadora das pessoas que vão votar nulo irão fazer. Não estou criticando a ideologia anarquista mesmo pq 99.9% dos eleitores que votarem nulo não fazem nem idéia do que é isso. O alto indice de votos nulos destas eleições nada mais é do que um reflexo da falta de engajamento politico da população, fruto é claro, da ignorância sistêmica patrocinada pela burgesia que sempre governou este país...

Tuesday, August 15, 2006 7:54:00 AM  
Anonymous Renata said...

Meu voto é tão bom quanto o IVO CASSOL, então?! OU quanto os deputados de Rondônia!!! Viva!

Tuesday, August 15, 2006 8:08:00 AM  

Post a Comment

<< Home