Thursday, August 17, 2006

Heloísa de Tróia

A bela Helena, esposa do rei espartano Menelau, foi o estopim da mítica guerra de Tróia, a partir de seu rapto por Príamo...ops... quer dizer, Páris, ahn... bem... não me lembro com exatidão, mas certamente era alguém com um nome iniciado por P (de PT, PSDB, PSOL, PRP, PHLXWTdoB...).

Mas voltando à narrativa. Independente das qualidades que pudéssemos atribuir à bela Helena, o que ficou para a eternidade foi a desgraça que a aparência pode trazer à humanidade. Se a beleza helenística produziu a guerra, outra aparência, a do presente grego em forma de cavalo deu fim à história de Tróia. Lembremo-nos que o arquiteto de tal engenho não poderia ser outro senão Ulisses, reconhecido muito mais por sua astúcia do que pela coragem. Usando o cavalo de madeira, os troianos foram enganados e sofreram com o fim de sua pátria.

Mas é com as próximas eleições que devemos atentar para um novo – velho – cavalo. É com esta disputa presidencial que a nossa Heloísa pode entrar para o rol de Helenas. HH disputa para fazer um contraponto à política atual e não é seu objetivo principal a ascensão à presidência, mas uma parcela razoável da população tem interpretado que o voto nesta Helena se apresenta como um voto de protesto contra o caminhar da política. Aí entra a nossa egüinha de pau.

Então berremos todos juntos: “Heloísa para presidente! Um Brasil novo já!” (risadas incontroláveis e frenéticas). O protesto “contra” o sistema político deve vir por meio do voto “cidadão” – uma cidadania bem manca e capenga, mas vá lá –, da escolha do trigo dentre o joio, de filtrar as impurezas da representação, e todo o resto de jargão repetitivo existente nesta nossa modernidade.

Eu percebo que existem problemas nos candidatos apresentados para a disputa eleitoral, como me parece que boa parte do eleitorado também o faz. Mas o problema não está apenas nos candidatos, o próprio sistema representativo conduz inexoravelmente à baderneira a qual estamos submetidos no dia-a-dia. Constituir um partido político é entrar para a dança das cadeiras da atual organização política, e lhe fornecer mais legitimidade. É muito mais bonito para o senhor Cardoso falar de consolidação da democracia porque temos opções das mais variadas na disputa eleitoral. Acontece que no fundo o mais importante é que nenhum desses partidos possui um apoio popular consciente, o que é impossível devido à própria organização em partidos políticos, que busca congelar posicionamentos políticos, na realidade muito mais voláteis e diversificados. Esta percepção, quando transborda para a ação política, se traduz como a rejeição a estes partidos políticos e seus candidatos.

O que representa Heloísa Helena? Ela vem de um novo partido! Ei, vamos com calma pra não cair do pangaré. PSOL, partido novo? Quem está lá faz política há séculos. São os métodos dos ex-petistas radicais e, mais importante: baseados na forma de fazer política da nossa tradição política. Mais uma... cadê a base social do PSOL? Ele é essencialmente um partido formado no parlamento (para falar que li Duverger), que não buscou suas bases na sociedade. Foi constituído pela impossibilidade de alguns políticos conseguirem espaço suficiente em seus partidos. Não existe, portanto, ANSEIO POPULAR, nesta “opção”.

Mas partido não é time de futebol, no futebol o torcedor é muito mais importante do que o eleitor na política. Com a podridão, natural e inerente à atual organização política, nada mais racional do que deixar de lado estas formas de representação falidas e abortadas em sua concepção, os chamados partidos políticos. Quem em sã consciência – e sem nenhum ganho por trás – irá correr atrás da construção de um partido hoje em dia? Eu não... e é por isso que eu voto nulo! Para ir contra não apenas a Lulas, FHs, administradores políticos, coronéis, e outros, mas também contra PSOL, PSTU, Helenas, Cristovans, porque o desejo popular não surge no parlamento ou em conversa de bastidor, e sim nas ruas, onde as pessoas vivem as agruras do dia-a-dia e as pequenas felicidades de quando encontramos algum motivo para olhar para frente.

De presente de grego já bastam os antigos...

2 Comments:

Anonymous carlos marcelo said...

vc tá querendo dizer que heloisa helena é a égua de tróia da política brasileira?

kkkkkkkkkkkkkk

Friday, August 18, 2006 2:56:00 AM  
Anonymous Anonymous said...

não ele só esta dizendo que o psol não tem base popular...

Friday, August 18, 2006 2:05:00 PM  

Post a Comment

<< Home